Promessa: Receita de Trufa de Caramelo e Castanha

Lembra que a gente prometeu que iria passar pra vocês a receita da Trufa de Caramelo e Castanha, que criei para o Festival de Gastronomia Tempero no Forte?

10410414_413248415496747_7307532601507965504_n

Pois aqui está! <3

Ingredientes:

105 g de açúcar
120 g de creme de leite fresco
300 g de chocolate meio amargo picado
80 g de castanha de caju sem sal e inteira
550 g de chocolate ao leite

Separe 100 g de chocolate ao leite e rale utilizando um ralador de cozinha. Reserve.
Leve 65 g de açúcar ao fogo e derreta até que escureça e forme um caramelo. Junte o creme de leite e deixe que ferva e cozinhe até que o caramelo fique homogêneo.
Retire do fogo e espere que pare de borbulhar. Junte o chocolate meio amargo picado e deixe que derreta. Leve a geladeira para endurecer.

Em uma panela, misture as castanhas com o restante do açúcar e leve ao fogo mexendo sempre, até que o açúcar derreta. Retire do fogo e despeje em um silpat (ou mármore untado). Cuidadosamente, separe as castanhas e deixe esfriar.
Retire pequenas porções da ganache de caramelo, envolva uma castanha caramelada e reserve.
Derreta e tempere o chocolate ao leite restante e banhe as castanhas enroladas na ganache. Retire do chocolate e imediatamente passe pelas raspas de chocolate ao leite.
Coloque em uma superfície antiaderente e espere cristalizar. Se preferir, leve a geladeira por 10 minutos.

Rendimento: Aproximadamente 20 unidades.

Experimente e depois me conta aqui no blog como ficou a sua trufa! ;)

Pernas pra que te quero!

10799490_10205279900820906_353799430_n

O clima do SPFW invadiu o atelier!!! E aproveitei para testar uma técnica nova de modelagem de bonecos.

Lembram que já postei aqui sobre o livro do Carlos Lischetti?

(http://boloebrigadeiro.com/2014/03/25/inspiracoes-carlos-lischetti/)

No livro “Animation in Sugar” ele propõe uma técnica incrível para modelagem de pernas de bonecos que estejam “em pé”: Ao invés de buscar realismo, com os contornos perfeitos, as pernas são estilizadas e aparecem juntas em um bloco de massa, com algumas curvas e contornos que sugerem uma determinada posição ou movimento.
Eu achei interessante porque, sinceramente, acho bem difícil fazer pernas delicadas e ao mesmo tempo resistentes, o que acontece especialmente no caso de bonecas que estejam de saia ou shortinho.
Para que o boneco fique em pé no bolo e possa ser transportado com segurança, quase todo mundo usa um espeto de churrasco ou palito de algodão doce. E esta peça, na minha opinião, às vezes compromete a “leveza” de um par de pernas mais finas. Por conta disto, minha curiosidade em tentar a técnica que ele propôs!
Ainda não dá para dizer que vou aderir e fazer isto todas as vezes, mas achei o resultado interessantíssimo. =D
Eu fiz a boneca que ele chama de “fashionista” no livro e mudei alguns detalhes. E, na hora de modelar as pernas, achei que ficaria mais interessante torcer a placa de pasta para o lado oposto ao que ele sugere.
10749466_10205279904540999_405648897_nPara quem gosta de modelagem, vale a pena comprar o livro que é cheio de idéias ótimas! Aqui, vou dividir com vocês as etapas da minha peça, já com as adaptações que fiz:

1) Antes de tudo, um detalhe interessante: A boneca é grande. Para vocês terem uma idéia, usa aproximadamente 200 g de pasta de modelar e para a peça da base (que serão as pernas estilizadas) recomendo usar 100 g. Eu fiz uma mistura de pasta americana e massa de flores (30% de massa de flores para 70 % de pasta americana) e também coloquei uma pitadinha de cmc.

Outro ponto importante é que ele recomenda que você use o molde fornecido pelo livro. Na verdade, eu achei que poderia ser também um desenho a mão livre, mas que tenha uma boa proporção entre pernas, tronco e cabeça, apenas para servir de guia.

10744819_10205279877220316_1116576039_n

2) Para começar é preciso modelar um rolo de pasta, mais grosso em uma das extremidades e bem longo. Feito isto, este rolinho deve ser achatado (usei uma das minhas pás de alisar o bolo) em ângulo, deixando o topo mais espesso que a base. E a ponta da base deve ser alargada (mais ou menos o que fazemos ao tentar modelar a cauda de uma sereia, sabe?!).

10754999_10205279881340419_1824833384_n

3) Depois, com a lateral da mão, faça uma marcação no meio, ao longo deste rolo achatado. Esta marcação vai dar a ideia das duas pernas.

10744635_10205279883020461_137096413_n

4) Segurando sua peça pela parte de baixo (onde estariam os pés) gire e ajuste a posição. Passe um palito de madeira (como a boneca seria grande e eu queria bastante sobra de palito para afixar ao bolo, usei um palito de algodão doce que é bem grande!). Então, deixe secar.

10749054_10205279885100513_476188952_n

5) Espete em uma base de isopor e continue com a modelagem. Aqui eu acho que cada um pode fazer o tronco e roupas como está acostumado, mas eu também amei a dica dele de deixar um palito segurando uma das bordas da saia, o que dá muito movimento e vida para a boneca ao final. Outra coisa que eu AMEI nesta boneca foi a proposta para a cabeça, de arrematar com um lenço super estiloso e nada de cabelo.

10522728_10205279888140589_104579035_n

10751844_10205279889220616_1944479314_n

10656196_10205279890740654_1146323217_n

Livro Novo: A História da Culinária em 100 receitas

Livro novo que quero muitoooooo indicar pra vocês: A História da Culinária em 100 receitas – Uma incrível viagem pelos hábitos alimentares ao longo do tempo, de William Sitwell (Editora Publifolha).

10733614_10205213895890824_860677787_n

O livro é uma delícia! O autor, William Sitwell, é editor da Revista inglesa Waitrose Kitchen e tem uma coleção enorme de livros de receitas, biografias de chefs, artigos históricos, etc. Ele decidiu reunir o que achava mais interessante em um livro que, capítulo por capitulo, conta a evolução das artes culinárias e também da maneira como as receitas eram difundidas pelo mundo.

Dentre as mais incríveis histórias, ele conta sobre a primeira receita impressa de cupcake. A autora da receita, Eliza Leslie, publicou a receita no livro “Seventy-five receipts for pastry, cakes and sweetmeats” (Setenta e cinco receitas de confeitaria, bolos e doces), do ano de 1828.

Segundo o autor, a palavra cupcake vem tanto da medida usada para a receita (xícara – cup) como das forminhas usadas para assar a massa. Interessante pensar que hoje nossa vida é muito fácil! No livro, ela dá dicas de como lavar a manteiga, refinar o açúcar (que era uma pedra!!!) e também avisa que para ter sucesso assando os bolinhos é preciso muita prática. Afinal, imagina como era cozinhar em um forno a lenha, sem termostato, sem controle de temperatura, sem timer… Ufa!!!

989656_10205213894530790_187289617_o

A receita também tem outro detalhe: A massa é feita com melaço e leva pimenta-da-jamaica, cravo e gengibre. <3

Dica Rápida: Boneco em Movimento

Na hora de modelar, às vezes é legal pensar em dividir o trabalho em etapas, para conseguir efeitos mais legais.

Aqui, neste bolo de futebol, para que o bonequinho aparecesse “chutando”a bola, as pernas foram feitas dois dias antes! ;)

10486638_10205039459530024_1143938165_n
 A dica é colocar as pernas em um pontinho de açúcar impalpável (para que não fiquem achatadas embaixo!) e deixar na posição que você quer. Use papel toalha (nesse caso usei aqueles panos descartáveis, muito comuns em cozinhas profissionais, que também resolve!) e deixe secando na posição que você quer.
10726233_10205039460410046_415668444_n Importante lembrar também de colocar CMC na pasta americana. E depois, com as pernas como do jeito que devem estar no bolo, faça a modelagem normalmente. Prontinho! <3
10719049_10205039438329494_732617409_n

Bolo da Semana: O talento da Luciana

Para o #surpreendaachef dessa semana, escolhi o trabalho inspirador de uma das minhas seguidoras. O nome dela é Luciana e ela me contou sua história lá na nossa página no facebook:

“Cada bolo que faço é um desafio novo e um carinho para que o cliente fique sempre satisfeito! Na verdade, minha formação é outra… sou Médica Veterinária… e agora sou boleira ou confeiteira ou cake design ou qualquer outro nome que adoce a vida dos outros! Resumidamente, quando minha primeira filha nasceu, eu teria que ter a deixado com 4 meses 10hs/dia, todos os dias, na creche… e aos sábados teria q contar com ajuda de alguém pq eu trabalhava de segunda à sábado… fora produção domingo que às vezes precisava ir e viagens pela empresa… não deu pra fazer isso com a gente… não consegui me ausentar desta maneira… e acredito que como a grande maioria das mães que fazem isso, resolvi transformar meu hobby em um trabalho… criei uma página aqui no facebook como quem não quer nada, na verdade sem acreditar em muita coisa, e cá estou, com 2140 curtidas e uma clientela que sempre me acompanha!”

Acredito sinceramente que alguém como a Luciana, que está disposta a começar mais uma vez, seja pelo motivo que for, conseguirá sempre encontrar mercado para trabalhar e ser reconhecida. Amei receber sua história, Lu!!! <3

Agora, confira um pouco mais do trabalho da Luciana D’Amato:

10717831_10203482937208902_680693728_n

10711196_10203482938728940_609260784_n

10714655_10203482936688889_1401637471_n

E se você também quer participar do #surpreendaachef, é só enviar seu bolo e sua história lá na página do facebook:

http://www.facebook.com/otaviaboloebrigadeiro

 

Fres-Coco: Crocante de Coco e Chocolate

Eu ganhei de presente uma caixa incrível com vários produtos da Fres-coco. Uma delícia! O que mais chamou minha atenção foi a polpa fresca, congelada e o coco ralado seco. O coco ralado congelado é prático e facilita muito a vida quando você precisa de coco natural. O coco seco, por outro lado, é surpreendente. Como ele é integral e não desengordurado, o sabor é incrível!! Adorei!!!!!! <3

10719184_10205055975102903_1411538333_n

Eu estava com vontade de comer alguma coisa crocante e lembrei de uns doces antigos que se chamavam “ouriço” e sempre eram cobertos de coco queimado. Resolvi fazer uma outra versão, usando chocolate e amêndoas. Na massa do docinho: açúcar mascavo, para uma cor dourada e um leve sabor de melado, e castanha de caju.

10723454_10205055979503013_1733522491_n

Uma dica: a cobertura pede chocolate temperado. Se você tem bastante habilidade com chocolate, pode fazer como está acostumada. Se não, siga a receita para uma temperagem fácil, usando microondas. Por fim, se não quiser nenhum trabalho, pode usar uma cobertura, desde que de boa qualidade! :)

Ingredientes

100 ml de água

100 g açúcar mascavo

100 g de coco ralado fino integral fres-coco

120 g de castanha de caju

20 g de manteiga sem sal

500 g de chocolate meio amargo bem picado (pode ser uma cobertura de boa qualidade)

250 g de amêndoas picadas grosseiramente

Leve a água e o açúcar mascavo ao fogo e deixe ferver 5 minutos. Desligue o fogo e junte o coco. Bata as castanhas em um processador até obter uma pasta. Junte à mistura de coco e açúcar e misture bem. Leve ao fogo novamente, mexendo sempre, até ferver e secar ligeiramente (5 minutos).

10723473_10205055974062877_2016354842_n

10715794_10205055973542864_1718541060_n

954566_10205055976022926_114965432_n

10717714_10205055977502963_1071373664_n

Deixe esfriar, unte as mãos com manteiga sem sal e faça bolinhas não muito pequenas (do tamanho de uma bola de ping pong!). Coloque em uma assadeira untada e leve ao congelador por 20 minutos. Para o banho de chocolate, você pode usar uma cobertura que tenha boa qualidade e neste caso não é necessário temperar. Caso esteja usando chocolate em barra, faz-se necessária a temperagem. Um método simples que funciona neste caso é este:

Separe 20% do peso do chocolate, e leve o restante ao microondas. Utilize a potência média, e aqueça em intervalos, sempre mexendo até que todo o chocolate derreta e fique quente (sentindo nos lábios). Retire do microondas e acrescente o chocolate reservado. Misture bem. Está pronto para usar! Passe as bolinhas no chocolate, escorra e em seguida role nas amêndoas picadas. Espere o chocolate cristalizar e está pronto!!! :D

10723423_10205055978502988_488012744_n

10717610_10205055980463037_271197854_n

10721281_10205055981343059_121668032_n

 

Por que cozinhar resolve todos os problemas do mundo? Michael Pollan e Ferran Adrià em livros.

10418381_10204981175872969_9121044957128713322_n

 

Ando apaixonada por dois livros lindos!

O primeiro é o livro novo do Michael Pollan: “Cozinhar – Uma história natural da transformação”. Este jornalista é uma das pessoas mais importantes na gastronomia mundial, na minha opinião. Ele escreveu vários livros, sendo “O Dilema do Onívoro” um dos mais incríveis.

No “Cozinhar”, ele simplesmente diz que todos os problemas do mundo poderiam ser resolvidas se as pessoas voltassem a cozinhar em casa. Nada contra restaurantes, mas ele ataca a comida industrializada, ultraprocessada e com “ingredientes” mais do que dispensáveis.

Cozinhar nos define em vários sentidos, começando com a vertente da antropologia que coloca esta atividade como a que promoveu nossa evolução e diferenciação, passando pelas questões de cultura e convivência social também.

No mundo moderno, por outro lado, cozinhar nos ajuda a entender e sentir a complexidade do mundo, o poder da natureza, e dá mais sentido ao esforço humano presente na cadeia de produção de alimentos. Tudo isso pode passar despercebido se preparar a sua refeição se resume a abrir uma caixinha.

Enfim, uma paixão! <3!!

O meu eu ganhei de presente da Chef Karina Ferrari, mas vc acha super fácil em todas as livrarias… Editado pela Intrínseca.

 

livros

 

O segundo livro é o “A refeição em família”: O Ferran Adrià, que todo mundo conhece como o melhor cozinheiro do mundo, e que ajudou a revolucionar a gastronomia contemporânea com suas espumas malucas, também é ótimo no “trivial variado”: Já faz um tempo que lançou um livro sobre comida caseira, e eu estava namorando.

A obra se chama “A refeição em família”, editada pela Phaidon e no Brasil, pela Ediouro.

Eu já gostei do livro por fora, a capa é linda. E, de cara, ele explica que a “refeição em família” do título é o jantar que todos os dias, todos os funcionários do El Bulli faziam juntos, antes de começar o serviço do restaurante que foi eleito o melhor do mundo várias vezes, antes de fechar.10409581_10204981176632988_392048349194083959_n

São pequenos menus: entrada, prato e sobremesa. Tudo simples, com ingredientes bem comuns, e o mais importante: Preparo acessível! Nada de deixar marinando 18 horas, ou cozinhar em baixa temperatura, usar um thermomix… etc.. etc… Ou seja, perfeito para todo mundo fazer em casa.

A idéia dos cardápios é boa também porque quem cozinha diariamente sabe que um dos problemas que aparece é saber o que fazer, sem cair na monotonia. Vale lembrar que as refeições tem um estilo bem europeu, ( massa como primeiro prato, por exemplo) e logicamente, alguns clássicos espanhóis.